• 17 de fevereiro de 2011

    Android vai para o espaço

    Em agosto de 2010, um grupo de estudantes da Nasa e funcionários do Google se uniram para realizar uma louca experiência que tinha como objetivo lançar um Nexus One no espaço através de um mini-foguete.

    As equipes planejavam descobrir se os celulares com Android poderiam funcionar e operar como satélites de baixo custo, mesmo em ambiente de vácuo e temperaturas extremas, com altas e baixas repentinamente.

    Para ter certeza do resultado, o grupo lançou dois dispositivos, mas apenas um sobreviveu à experiência. O primeiro celular caiu no chão devido a uma falha em seu pára-quedas. No telefone que conseguiu voltar ileso, havia duas horas e meia de vídeo, que pode ser assistido no YouTube.

    Os resultados, que poderiam a tornar os satélites menores (hoje são praticamente do tamanho de um ônibus), também viabilizaria a possibilidade para que cientistas amadores pudessem lançar seus próprios satélites no espaço.

    O Google queria mais!

    A experiência bem sucedida com a Nasa incentivou a gigante de Mountain View a explorar novamente a atmosfera terrestre com o Google Nexus S.

    Utilizando desta vez um balão de grande altitude, câmeras de vídeo e um celular, o Google expandiu seus estudos ao coletar dados através dos sensores do Nexus S, como GPS, giroscópio, acelerômetro e magnetómetro.

    O telefone também estava equipado com uma variedade de aplicações, incluindo o Google Maps for Mobile 5.0 (com mapas offline), o Google Sky Map, Latitude e um App personalizado para registro de todos os sensores no dispositivo.

    Outra novidade, como você pode ver a imagem que ilustra este post, estava a presença especial de um astronauta bem familiar: o  mini Android verde da coleção .

    Resultado

    Os resultados foram interessante: o balão chegou a 107.375 pés, mais de 20 quilômetros de altura, mais de três vezes a altura de voo de um jato comercial médio.

    “Observamos que o GPS do Nexus S é capaz de funcionar até altitudes de cerca de 60.000 pés e voltou a funcionar na descida do balão. Vimos também que Nexus S pode suportar algumas temperaturas muito extremas como -50°C.” disse a empresa.

    Outros dados interessantes que foram coletados:

    Velocidade Máxima: 139 mph
    Altitude Máxima: 107.375 pés (mais de 30 km)
    Taxa máxima de subida: 5,44 m/s
    Média Duração do Voo: 2 horas e 40 minutos
    Média Tempo de Descida: 34 minutos




    Fonte: Gizmodo

    Nenhum comentário: